Foi formador convidado no curso de Direção e artista-orientador de Experimentos da SP Escola de Teatro entre os anos de 2013 e 2014. Ministrou em 2017 uma oficina na Oficina Cultural Oswald de Andrade sobre Direção Teatral com o tema “O(A) Intérprete, alquimista supremo(a) – instrumentalização para a criação e a relação entre diretores/diretoras e atores/atrizes; o trabalho da direção teatral focado nos(as) intérpretes”. Iniciou suas atividades artísticas na dança aos 6 anos, optando pela formação clássica na adolescência. Aos 15 anos, entra em contato com o teatro, passando por uma extensa formação que se deu ao longo de sucessivos trabalhos e experiências com diversos grupos amadores e diretores. Já no teatro profissional em 2005, ingressou no CPT - Centro de Pesquisa Teatral do SESC, sob a direção de Antunes Filho. Foram quatro anos em contato estreito com suas práticas, em que Lenate desempenhou diversas funções: participou do Núcleo de Cenografia e atuou nas seguintes montagens do Grupo Macunaíma: O Canto de Gregório, de Paulo Santoro; A Pedra do Reino, de Ariano Suassuna e Senhora dos Afogados, de Nelson Rodrigues. Em 2006, com a criação de um programa novo de estudos implementado por Antunes, passou a desenvolver seu trabalho como diretor. Sua estreia profissional se deu com O céu 5 minutos antes da tempestade, de Silvia Gomez, integrante do Círculo de Dramaturgia do CPT. O espetáculo esteve em cartaz durante todo o ano de
2008 e foi nomeado para diversos prêmios como o Prêmio Qualidade Brasil de melhor espetáculo na categoria drama. Em 2009 dá seguimento ao seu trabalho como diretor fora do CPT. Neste ano dirigiu os espetáculos Natureza Morta, de Mário Viana, e Celebração, do inglês Harold Pinter, premiado no 13º Cultura Inglesa Festival como melhor espetáculo. Em
2010, integrou o elenco do espetáculo Sideman, de Warren Leight, sob a direção de Zé Henrique de Paula e, em 2011 e 2012, trabalhou como ator em mais uma empreitada do Núcleo Experimental de Zé Henrique: No coração do mundo, de Tony Kuschner. Por este trabalho, foi indicado ao prêmio Aplauso Brasil 2012 de melhor ator coadjuvante e recebeu 
o prêmio R7 de Teatro 2012 de melhor ator. Foi diretor e cenógrafo do espetáculo Um Verão Familiar, de João Fábio Cabral, projeto da Cia. dos Inquietos que estreou em agosto de 2012, no SESC Belenzinho, em São Paulo. Por este trabalho Lavínia Pannunzio recebeu o prêmio Shell 2012 de melhor atriz. Foi diretor e cenógrafo da peça Rabbit, de Nina Raine, projeto da Companhia Delas de Teatro que estreou também em agosto de 2012, em São Paulo, no teatro Eva Herz. Este trabalho recebeu 2 indicações ao prêmio CPT 2012 (melhor trabalho apresentado em sala convencional e melhor direção). Ainda em 2012, Lenate foi indicado ao prêmio Shell na categoria especial “pela força performativa de seus experimentos”. Vestido de Noiva, trabalho realizado em 2013, esteve em cartaz em São Paulo. Este espetáculo rendeu a Lenate o prêmio Aplauso Brasil 2013 de melhor arquitetura cênica. Sit Down Drama, espetáculo que dirigiu em 2014, estreou no Teatro
SESC Anchieta em São Paulo. Por este trabalho, Lenate foi indicado ao prêmio Shell de melhor direção. Em 2015 funda a Sociedade Líquida, projeto-provocação responsável pelos trabalhos: Ludwig e suas irmãs, de Thomas Bernhard; Mantenha fora do alcance do bebê, de Silvia Gomez; Fim de Partida, de Samuel Beckett, pelo qual foi indicado ao prêmio APCA de melhor ator em 2016; O teste de Turing, de Paulo Santoro, e Refluxo, de Angela Ribeiro, que esteve em cartaz no primeiro semestre de 2017 no Mezanino do Centro Cultural FIESP, pelo qual Lenate recebeu o prêmio Shell de melhor cenário e foi indicado ao mesmo prêmio na categoria melhor direção, em São Paulo. Love, Love, Love, de Mike Bartlett, estreado em janeiro de 2017, no Rio de Janeiro, e em março de 2018, em São Paulo, em parceria com o Grupo 3 de Teatro, é um de seus mais recentes trabalhos. Por este trabalho, Lenate foi indicado ao prêmio APTR 2017 de melhor direção e também foi indicado ao prêmio Shell 2017 de melhor direção, ambos no Rio de Janeiro. Este trabalho ainda foi indicado em 2018 ao prêmio APCA de melhor espetáculo, em São Paulo.

Montagem "Experiência Shakespeare"

Direção Eric Lenate

12 de fevereiro a 11 de julho

Residência + Temporada com 21 apresentações

Terças, quartas e quintas, das 19h às 22h

Investimento: 4x R$650,00 ou 6x R$450,00

Desconto para pagamento à vista R$2.400,00

Inscrições até 31/1 | Processo seletivo por carta de intenção e entrevista presencial

SOBRE A RESIDÊNCIA E MONTAGEM 

O projeto de Vivência do diretor Eric Lenate, dentro do Espaço iNBOx Cultural, é um trabalho de investigação da arte do(a) intérprete – focado nas possibilidades físico-vocais de atores e atrizes – e um minucioso estudo da obra do dramaturgo inglês William Shakespeare. O resultado será uma montagem original feita a partir de trechos icônicos do dramaturgo, intitulada EXPERIÊNCIA SHAKESPEARE, com uma temporada de 21 apresentações.


Eric Lenate é conhecido pela realização de espetáculos como “O Céu 5 minutos antes da tempestade”, “Rabbit”, “Ludwig e suas irmãs”, “Fim de Partida”, e os premiados “Um verão familiar”, “Sit Down Drama”, “Mantenha fora do alcance do bebê”, “Love Love Love” e “Refluxo”.

 

Esta Vivência é uma realização do iNBOx Cultural junto a Sociedade Líquida, um projeto-provocação inaugurado por Eric Lenate no início de 2015 em parceria com grandes artistas da cena brasileira (mais infos abaixo).

 

 

ESTRUTURA DE TRABALHO


PARTE UM: Dois dias da semana dedicados a instrumentalização físico-vocal das atrizes e atores, focados no aprimoramento dos intérpretes. Um dia de trabalho dedicado a construção da peça.

PARTE DOIS: Três dias ensaio dedicados a construção da peça. 


 

PÚBLICO-ALVO: Atrizes, atores, diretoras, diretores.
 

VAGAS: mínimo 15 pessoas / máximo 22 pessoas.
 

INVESTIMENTO:
06 X R$ 450,00 ou  04 X R$ 650,00 
Valor com desconto à vista R$ 2.400,00

INSCRIÇÕES: de 18 de dezembro de 2018 a 31 de janeiro de 2019 a 31 de janeiro.

SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES:

Carta de Interesse e entrevista presencial (para a entrevista, levar um trecho de qualquer obra de Shakespeare para ser lido) nos dias 04, 05, 06 e 07 de fevereiro de 2019 (manhã e tarde). A ordem das entrevistas será divulgada dia 01/02 de acordo com a ordem do envio das inscrições e cartas de interesse.


RESULTADO DA SELEÇÃO: 08 de fevereiro de 2019.
 

PERÍODO DA OFICINA:

12 de fevereiro a 23 de maio de 2019.
Terças, Quartas e Quintas. Das 19h às 22h.

 

CARGA HORÁRIA:

126 horas/aula 

Total de encontros/aulas: 42
 

ESTREIA PARA CONVIDADOS: 28 de maio de 2019.
TEMPORADA: de 28 de maio a 11 de julho de 2019 (21 apresentações)
Terças, Quartas e Quintas, às 21h.
INGRESSOS: R$ 30,00 (inteira) | R$ 15,00 (meia entrada e “ingresso amigo”)
BILHETERIA: total revertido para os oficinandos.

 

Sobre o Projeto Sociedade Líquida

O projeto-provocação Sociedade Líquida é constituído por profissionais com reconhecida experiência na cena teatral de São Paulo: Aline Santini, designer de luz; Rosângela Ribeiro, figurinista, cenógrafa e aderecista; L. P. Daniel, sonoplasta, compositor e engenheiro de som; e Laerte Késsimos que, além de ator, é cineasta, artista gráfico e videográfico. Todos já com experiências pregressas com o diretor Eric Lenate e que, agora, contribuem para dar corpo e movimento a este projeto. Trata-se da união sazonal de jovens artistas no intuito de conseguir aliar qualidade artística e relevância social em seus trabalhos, que refletem sobre as forças que animam e formam a condição humana contemporânea. Do projeto nasceram: LUDWIG E SUAS IRMÃS, de Thomas Bernhard, dirigido por Eric Lenate, que estreou em 2015 no Centro Cultural São Paulo – CCSP e pelo qual Aline Santini foi indicada ao prêmio Shell de melhor iluminação; FIM DE PARTIDA, de Samuel Beckett, dirigido por Eric Lenate, produzido em 2015 especialmente para o 19º Cultura Inglesa Festival e que esteve em cartaz no ano de 2016 no SESC Pinheiros e na SP Escola de Teatro. Este trabalho foi indicado ao prêmio Aplauso Brasil na categoria melhor iluminação para Aline Santini e recebeu o mesmo prêmio de melhor figurino para Rosângela Ribeiro. E, por este trabalho, Eric Lenate foi indicado ao prêmio APCA de melhor ator; MANTENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ, de Silvia Gomez, dirigido por Eric Lenate, produzido em 2015 especialmente para a 1ª Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo – CCSP, que esteve em cartaz em 2015 e 2016 no SESC IPiranga, no SESC Copacabana (RJ), no Teatro Porto Seguro (SP), na Caixa Cultural em Fortaleza (CE), foi indicado ao prêmio Shell de melhor dramaturgia e recebeu o prêmio APCA na mesma categoria. Foi ainda indicado ao prêmio Aplauso Brasil de melhor espetáculo de produção independente, melhor atriz para Débora Falabella e recebeu o prêmio de melhor dramaturgia. Este trabalho foi eleito pelos jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e O Globo do Rio de Janeiro como um dos 10 melhores espetáculos de 2015; O TESTE DE TURING, de Paulo Santoro, dirigido por Eric Lenate, produzido em 2016 especialmente para a 2ª Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo – CCSP e foi indicado ao prêmio Aplauso Brasil nas categorias melhor dramaturgia e melhor atriz para Maria Manoella; e REFLUXO, de Angela Ribeiro, dirigido por Eric Lenate, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Dramaturgia do SESI / British-Council, que esteve em cartaz no primeiro semestre de 2017 no Mezanino do Centro Cultural FIESP e foi indicado ao prêmio Shell, em São Paulo, em 03 categorias: melhor autor, melhor direção e melhor cenário, recebendo os prêmios de melhor cenário para Eric Lenate e melhor autor para Angela Ribeiro. Este trabalho foi eleito pela Revista Bravo! como um dos 10 trabalhos fundamentais de 2017; e UNFAITHFUL, de Owen McCafefferty, idealizado por Laerte Késsimos, dirigido por Lavínia Pannunzio e produzido em 2017 especialmente para o 21º Cultura Inglesa Festival.