Diego Moschkovich é diretor de teatro. Cursou Artes Cênicas na Academia Estatal de Artes Cênicas de São Petersburgo (LGITMiK). Pesquisador das heranças históricas de Stanislávski e Meyerhold, traduziu e publicou a primeira tradução do russo de Do Teatro, de Vsévolod Meyerhold (Iluminuras, 2012), Stanislávski ensaia, de Vassíli Toporkov (editora É, previsão de lançamento - fevereiro 2016), e Análise-Ação, de Maria Knebel (editora 34, previsão de lançamento – março 2016). Foi bolsista e assistente de direção e tradutor no projeto Masters in Residence, do Instituto Grotowski (Wroclaw, Polônia, 2011 - 2012), sob a direção de Anatóli Vassíliev. No Brasil, fez a assistência de direção para Adolf Shapiro nos dois trabalhos realizados com a Mundana Companhia (Tchékhov 4, 2010 e Pais e Filhos, 2012), e, recentemente, para Georgette Fadel em O Duelo (2013), também com a Mundana Companhia. Dirigiu Caixa, étude livremente inspirado em “Tape”, de Stephen Belber, (2014) e Dezembro, de Guillermo Calderón (2015). Recém-contemplado pela 3a. Edição do Prêmio Zé Renato para a montagem de Neva, também de Guillermo Calderón. Dirige, ainda, o Laboratório de Técnica Dramática, grupo de estudos e pesquisa sobre a metodologia da Análise Ativa.

ANÁLISE ATIVA E O PROCESSO DE MONTAGEM

O Essa metodologia começou a ser idealizada por Stanislávski na última fase de suas pesquisas. Após sua morte, foi levada adiante por Maria Knébel, aluna de Stanislávski e divulgadora do seu ensinamento. Knébel desenvolveu o método da análise ativa e o introduziu na prática de ensaios, impulsionando uma verdadeira onda de renovação do teatro soviético entre os anos 50 e 70. Posteriormente, o diretor e pedagogo russo Anatóli Vassíliev, que se formou com Maria Knébel, continuou o trabalho com esse método, desenvolvendo-o e ampliando o seu alcance.

 

A análise ativa está diretamente ligada ao sistema Stanislávski.

 

O ponto central desse método é a proposição de instrumentos de análise do texto dramático que permitem operar com ele, proporcionando ao mesmo tempo uma grande liberdade de criação ao ator. Ou seja, trata-se de uma espécie de gramática teatral que relaciona diretamente os elementos do texto aos instrumentos de criação do ator. Ela dá ao ator meios para analizar o texto e extrair diretamente dele o material que servirá de base para a construção do papel.

 

A ideia é, além de apresentar e introduzir a metodologia aos participantes através do trabalho sobre o texto das quatro peças de A.P.Tchékhov (A gaivota, O tio Vânia, As três irmãs e O jardim das cerejeiras), finalizar com a montagem de um texto curto a ser escolhido, através de um processo de Análise Ativa.

ASSISTA AO VÍDEO

32 encontros - Quintas e Sextas

 

Carga horária: 128 horas/aula.

 

2 encontro de 4 horas.

 

14:00 - 18:00

 

 

VALORES:

 

Até 04 de Abril  -  R$ (4x) de R$ 290,00

 

Até 13 de Março  -  R$ (4x) de R$ 320,00

 

INÍCIO dia 14 de Abril até 29 de Julho

Pagamentos a vista no débito e depósito bancário, ou parcelado no cartão de crédito.

INSCREVA-SE JÁ

* Em assunto: colocar o nome do curso